Tudo aquilo que eu imaginava que o Japão seria ele não é, bom não do jeito que imaginava. Aquela imagem que se tem do Japão cheio de prédios e eletronicos.

Tudo aquilo que imaginava que o Japão não era mais, ele ainda é. Aquelas paredes quadriculadas de papel com porta que corre e ter que tirar os sapatos para entrar nas casas ou restaurantes.

O Japão não é uma supermetropole como aquela ideia que temos.
Talvez seja assim em um ou outro bairro por daqui e não por todo lado como imaginamos.
Porém uma coisa é verdade, tem casa ou prédio (nem q seja 2 ou 3 andares) por todo lado. Basicamente não há terrenos baldios. Há muitas hortas e plantações dividindo espaço com casas, vejo muitas quando venho de trem para o trabalho.

Tem coisas q não dá pra descrever ou contar. Só estando aqui pra ver.

Próximo as estações há estacionamento para bicicletas, são centenas de bicicletas que ficam ali. Há também estacionamento para carros, mas cabem apenas alguns poucos carros e deve ser caro para alugar.

Aqui, digamos, tudo custa o dobro. Alimentação, transporte etc.
Se for ver q você ganha mais também (não é o meu caso, pois sou um mero turista), então tem coisas q são muito baratas como eletronicos, celulares e produtos de informática.
O que naturalmente já são um pouco mais barato, mas não muito.
Pelo padrão daqui, parece ser muito baratos.

Curiosidade: No Japão o iPod é vendido pelo menor valor do mundo, em contraste no Brasil ele é vendido pelo valor mais caro do mundo.